top of page
  • Foto do escritorRicardo Figaro

Caco Ciocler interpreta o super-herói brasileiro ‘Overman’

Longa começa a ser rodado no Rio de Janeiro e tem direção de Tomás Portella


Caco Ciocler interpreta o super-herói brasileiro ‘Overman’

Diretamente dos quadrinhos da premiada cartunista Laerte Coutinho para as telas: o super-herói Overman vai virar filme sob a direção de Tomás Portella (“Impuros”, “Lá Situación” e “Operações Especiais”), e produção de Iafa Britz e Carolina Castro, da Migdal Filmes. Protagonizado por Caco Ciocler, o longa-metragem começou a ser rodado no Rio. No filme, Overman está sem propósito e com a vida desorganizada emocional e financeiramente. Até que recebe, do Governador (Otávio Muller), uma proposta de trabalho na Secretaria de Segurança Pública, porém, nosso super-herói logo percebe que o novo emprego é mais desafiador do que imaginava.

Overman é um super-herói brasileiro, desempregado e propenso aos vícios, que se vira para sobreviver aos desafios que todo brasileiro enfrenta. Na nova produção nacional, ele está vivendo uma crise pessoal quando começa a trabalhar com Pâmela (Karina Ramil), a Mulher Cachorro. A heroína acaba roubando a cena, é reconhecida por sua competência e vira a queridinha do público. Overman então sente a perda do protagonismo e tem de enfrentar a sua masculinidade tóxica. Enquanto se desdobra para proteger a cidade e vencer seu próprio ego, ele acaba descobrindo os segredos obscuros do Governador.

O diretor Tomás Portella revela um dos grandes desafios do filme: “Temos um personagem dos anos 90 e precisamos atualizar o discurso e o humor para os tempos atuais. E, para transformar uma tirinha em um longa-metragem, é preciso dar uma tridimensionalidade para os personagens e ter uma coerência afetiva nas histórias. As tirinhas por si só são um recorte, mas, neste projeto, temos o objetivo de desenvolver o filme e deixá-lo crescer de maneira fluida, sem transformá-lo em esquetes”, finaliza.

“O Overman é over neurótico, over perseguido, over vulnerável, over inseguro e revestido de masculinidade tóxica. A escolha pelo Caco não é óbvia, a princípio, pois ele é um homem no avesso, sensível e consciente do seu papel político. Essa dicotomia traz um olhar interessante para a construção da cena, que já é provocativa pelo próprio texto genial”, reflete a produtora Iafa Britz, produtora do filme e sócia da Migdal Filmes, sobre a escolha do protagonista. “O Overman, esse anti-herói que a Laerte construiu, e que o Tomás está lapidando e revisitando, expõe todas as fragilidades do personagem com muito humor e ironia”.

“O filme mistura humor ácido, clichês, cores, efeitos. Celebramos a trajetória grandiosa da Laerte, essa cartunista que traz sempre contrapontos do que está acomodado. Traz reflexões sobre gente. É deste lugar, de quebra de zona de conforto, de crítica com entretenimento, que queremos fazer”, completa Britz.

Criado pela quadrinista Laerte Coutinho em 1998, Overman ficou popularmente conhecido pelas tirinhas publicadas no jornal Folha de São Paulo. A artista paulistana considera que Overman não conhece os próprios limites, chegando até mesmo a ser “over”, por isso, Overman. A construção da narrativa revela-se uma sátira dentro do universo dos super-heróis, em que Laerte constrói comicamente todo o egocentrismo e a vaidade do personagem, que se esconde por trás de uma fantasia e uma máscara, itens que ele nunca tira.

Além de Caco Ciocler e Karina Ramil, o elenco reúne nomes como Otávio Muller, Victor Lamoglia, Raphael Logam, Maria Lucas, Marina Provenzzano, Caio Riscado, Isabele Riccart e Saulo Arcoverde. “Overman” é uma produção da Migdal Filmes em coprodução com a Star Original Productions, FSA e RioFilme, órgão que integra a Secretaria de Cultura da Prefeitura do Rio, e distribuição da Star Distribution.

Sinopse:

Overman, um super-herói brasileiro, busca desesperadamente encontrar um propósito em meio à realidade estressante da burocracia, dívidas e crises existenciais. Quando lhe é oferecido um emprego na Secretaria de Segurança Pública pelo Governador, ele vê uma oportunidade de reerguer-se, mas logo descobre que as coisas são mais complicadas do que parecem. Ao trabalhar ao lado de Pâmela, sua fiel parceira, que começa a ganhar reconhecimento igual ao dele, Overman confronta sua masculinidade tóxica e descobre segredos obscuros envolvendo o Governador. Agora, ele precisa confrontar seus demônios internos e um inimigo antigo para evitar que a cidade caia no caos irreversível. Seu objetivo final é conseguir farrear com tranquilidade nas noites de sexta-feira.

Elenco: Caco Ciocler (Overman)

Otávio Muller (Governador)

Karina Ramil (Pâmela, a Mulher Cachorro)

Victor Lamoglia (Ésquilo)

Raphael Logam (Dr. Lights)

Marina Provenzzano (Pane)

Maria Lucas (Poline Pilsen)

Caio Riscado (Maníaco Flatulento)

Isabele Riccart (Alexandra) Saulo Arcoverde (Passador de Trote)

Ficha Técnica: Baseado na obra “Overman”, de Laerte Coutinho

Direção: Tomás Portella

Produção: Iafa Britz e Carolina Castro

Roteiro: Arnaldo Branco, Leandro Soares e Tomás Portella

Direção de Fotografia: André Modugno

Direção de Arte: Claudio Amaral Peixoto

Figurino: Reka Koves

Caracterização: Mariah de Freitas

Produção de Elenco: Ciça Castello

Produtor Executivo: Mauro Pizzo

Produtor Delegado: Marcelo Guerra

Produção: Migdal Filmes

Co-produção: Star Original Productions, FSA e RioFilme

Distribuição: Star Original Productions

Sobre a produtora Migdal Filmes:

Produtora carioca que já levou aos cinemas mais de 40 milhões de pessoas, tendo produzido dezenas de filmes e séries na última década. Em seu portfólio, estão os filmes da trilogia “Minha Mãe É Uma Peça” (2013, 2016 e 2019), fenômeno de público e crítica, cuja terceira parte alcançou o posto de filme mais lucrativo da história do cinema nacional; o drama premiado “Casa Grande”; as comédias “Linda de Morrer” e “Carlinhos e Carlão”; o aclamado documentário musical “Cássia Eller”; o recorde de bilheteria “Nosso Lar”; a biografia cinematográfica “Irmã Dulce”; “M-8 – Quando a Morte Socorre a Vida”, vencedor de vários prêmios nacionais; e o recente “As Polacas”, que será lançado em 2024. Produziu para a TV as três temporadas da série “As Canalhas” (GNT); as cinco temporadas de “220 Volts” (Multishow) e a primeira temporada de “Matches” (Warner). No line up de 2023/2024, grandes projetos estão em produção, entre eles a série “Body by Beth”, os longas “7 a 1”, de Pedro Amorim, “Geni e o Zepelim”, de Anna Muylaert.

Sobre a RioFilme

Fundada em 1992 para apoiar a produção e distribuição de cinema na cidade do Rio de Janeiro, a RIOFILME é uma empresa pública municipal que tem como missão promover o desenvolvimento da indústria audiovisual carioca, levando em conta seus impactos econômicos e sociais na cidade. Entre suas atividades, além do fomento ao audiovisual carioca, estão a democratização do acesso às salas de cinema e a expansão do parque exibidor, o fomento às atividades da cadeia produtiva do setor, a formação de público e o suporte a produtores do Brasil e do mundo que querem filmar no Rio de Janeiro.


fonte: atomicalab

7 visualizações0 comentário

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page