top of page
  • Foto do escritorRicardo Figaro

1º Festival de Cinema Coreano SP – KOFF chega a São Paulo

Iniciativa do Instituto São Paulo de Arte e Cultura, o evento apresenta o melhor da produção cinematográfica coreana


Festival de Cinema Coreano SP – KOFF chega a São Paulo

Nos 60 anos da imigração coreana no Brasil, o Festival de Cinema Coreano SP – KOFF chega a São Paulo entre os dias 2 e 6 de outubro no Espaço Itaú de Cinema. A ideia é apresentar um conjunto importante de filmes que retratam a produção cinematográfica coreana, desde 2003 a 2023 apresentando diversos gêneros - terror, suspense, drama, ação, romance, documentário e ficção. O evento chega à capital depois de estrear em Piracicaba – cidade que comemora o Dia da Cultura Coreana no Calendário Oficial de Eventos do Município - entre os dias 15 a 18 de agosto, no Teatro do Engenho Central. A iniciativa traz ao Brasil sucessos de bilheteria do cinema sul-coreano e apresenta uma Mostra Competitiva e uma Mostra Não-Competitiva, exibindo mais de 30 filmes entre curtas e longas-metragens premiados, sob curadoria de Rubens Rewald e co-curadoria de Marcia Kling, Erika Fromm e Tatiana Groff.

A Mostra Competitiva reúne três categorias: longas e curtas-metragens produzidos na Coreia do Sul sobre qualquer temática; longas e curtas-metragens produzidos no Brasil sobre a Coreia do Sul ou cultura coreana; e longas e curtas-metragens produzidos no Brasil realizados por brasileiros descendentes de coreanos sobre qualquer temática. A Mostra Não-Competitiva reúne dez longas-metragens selecionados entre os filmes mais representativos e premiados da produção cinematográfica sul coreana, homenageando sucessos internacionais de público, desde Oldboy a Decisão de Partir, e dez curtas-metragens selecionados entre os premiados no Busan International Short Film Festival - BISFF e outros importantes festivais de cinema da Coreia do Sul.

Entre as atividades estão previstos eventos de abertura e encerramento, debates internacionais com cineastas e produtores coreanos e brasileiros em formato híbrido, oficinas de produção de vídeo e noite de premiação e homenagens. “No momento em que o Brasil se posiciona como um dos maiores consumidores das produções audiovisuais sul-coreanas, que foram elevadas a outro patamar após o filme Parasita romper barreiras, conquistando quatro prêmios no Oscar 2020, além da Palma de Ouro, em Cannes, em 2019, e o Globo de Ouro de Melhor Filme em Língua Estrangeira, em 2020, é de suma importância a realização de um projeto que celebre a excelência da cinematografia sul-coreana no Mundo”, explica a Diretora do Festival e Co-curadora Marcia Kling.

Em sua primeira edição o I Festival de Cinema Coreano SP - KOFF é realizado com o patrocínio das empresas CJ do Brasil, Glovis Brasil Logística e Atomy do Brasil e apoio cultural da empresa Hyundai Motor Brasil. O projeto foi aprovado em âmbito do Programa de Ação Cultural do Governo do Estado de São Paulo - PROAC ICMS e é apresentado pela Amaná Cultural e Secretaria de Cultura, Economia e Indústria Criativas do Estado de São Paulo.

DEBATES

Debate 1 – Produção Brasil Coreia

Trocas interculturais e produção audiovisual brasileira e coreana: diálogos atuais

Debate 2 – Políticas Públicas de Estado

Mercados e estéticas, cinema coreano: estratégias globais

Debate 3 – O Futuro da Indústria Cinematográfica Coreana

Futuro do cinema e o papel da indústria sul-coreana no contexto mundial

Sobre o curador Rubens Rewald

Roteirista, teatrólogo, professor da Universidade de São Paulo (USP) e diretor de cinema. Formado em cinema e doutor em Artes pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP), é também autor do livro Caos dramaturgia, publicado em 2005. No teatro, escreveu a peça O Rei de Copas (1994), indicada para o Prêmio Mambembe pela renovação da linguagem teatral. Em 1999, trabalhou na adaptação da peça Esperando Godot, de Samuel Beckett, e escreveu Acordei pensando em bombas, ambas com direção de Cristiane Paoli-Quito. Também desenvolveu um trabalho de utilização dramática em vídeo em três peças: Dias felizes (1989), texto de Samuel Beckett, Dois perdidos numa noite suja (1992), de Plínio Marcos e Budro (1994), dirigido por Bosco Brasil. Em 2007, codirigiu o longa Corpo, em parceria com Rossana Foglia, que ganhou o prêmio de melhor filme estrangeiro no The Method Independent Film Festival, em Los Angeles. Além disso, dirigiu os documentários de longa-metragem Esperando Telê (2009) e Intervenção – Amor Não quer Dizer Grande Coisa (2017), ambos em parceria com Tales Ab’Sáber, e os documentários para a TV Rainha Hortência e Magic Paula (2014) e 800M (2016), em parceria com Aarón Fernandez, além dos curtas Cânticos (1991) e Mutante… (2002). Foi roteirista do filme Hoje (2011), de Tata Amaral, e do documentário Todas as Manhãs do Mundo, de Lawrence Whaba (2016). Seus filmes mais recentes foram lançados em 2023: Segundo Tempo e Jair Rodrigues – Deixa que Digam.

Programação Mostra:

02/10

19h Curtas Premiados

• JIB

• Dancing in the Street

• Brasileano

• Soup is not free

20h30 – Empty Body

03/10

18h00 – Recepção convidados 19h00 – Cerimônia de Abertura

19h30 – Parasita

21h45 – OldBoy

04/10

14h30 – Curtas Mostra Competitiva

15h00 – Curtas Mostra não Competitiva

• Another Town

• Misdelivered

• One’s Mind

16h15 – Longas Mostra Competitiva

18h30 – Força Bruta

20h30 – Minari

22h45 – Invasão Zumbi

05/10

14h30 – Curtas Mostra Competitiva

15h00 – Curtas Mostra Não Competitiva

• Against the Tides

• Nowhere

• Cut and Paste

16h15 – Longas Mostra Competitiva

18h30 – Ligação Explosiva

20h15 – Uma nova chance

22h30 – Em Chamas

06/10

14h00 – Curtas Mostra Competitiva

15h00 – Curtas Mostra Não Competitiva

• Unique Time

• Mint Condition

• Source of the Odour

• An Excessive Day

17h00 – Longas Mostra Competitiva

19h00 – Noite de Premiação e Homenagens

20h00 – Decisão de Partir

22h30 – A Criada

Ficha técnica

Curador - Rubens Rewald. Diretora do festival e co-curadora - Marcia Kling. Consultor do Festival - Antonio Leal. Produtora Executiva e Co-curadora - Erika Fromm. Produtora Executiva e Co-curadora - Tatiana Groff. Embaixador do Festival - Gabriel Kim. Marketing - David Alves. Assessoria de Imprensa - Maria Fernanda Teixeira e Maurício Barreira. Coordenadora de Mídia Social - Silvia Barbato.

Serviço


Período de Realização: de 2 a 6 de outubro de 2023.

Local: Espaço Itaú de Cinema. R. Augusta, 1475 - Consolação, São Paulo -SP

Patrocinadores: CJ do Brasil,Glovis Brasil Logística e Atomy do Brasil.

Apoio Cultural: Hyundai Motor Brasil.

Apoio Institucional: Instituto São Paulo de Arte e Cultura - ISPAC e Secretaria de Cultura, Economia e Indústria Criativas do Estado de São Paulo.

Realização: Amaná Cultural e Secretaria de Cultura, Economia e Indústria Criativas do Estado de São Paulo.

Sinopses Longas

Parasita (2019)

Em Parasita, toda a família de Ki-taek está desempregada, vivendo num porão sujo e apertado. Uma obra do acaso faz com que o filho adolescente da família comece a dar aulas de inglês à garota de uma família rica. Fascinados com a vida luxuosa destas pessoas, pai, mãe, filho e filha bolam um plano para se infiltrarem também na família burguesa, um a um. No entanto, os segredos e mentiras necessários à ascensão social custarão caro a todos.

OldBoy (2003)

Oh Dae-su (Choi Min-sik) é um homem comum, bem casado e pai de uma garota de 3 anos, que é levado a uma delegacia por estar alcoolizado. Ao sair ele liga para casa de uma cabine telefônica, para logo em seguida desaparecer, deixando como pista apenas o presente de aniversário que havia comprado para a filha. Pouco depois ele percebe estar em uma estranha prisão, onde há apenas uma TV ligada, no qual ele recebe pouca comida e respira um gás que o faz dormir diariamente. Através do noticiário da TV ele descobre que é o principal suspeito do assassinato brutal de sua esposa e sem ter outra opção, ele passa a se adaptar à escuridão de seu quarto e a preparar seu corpo e sua mente para sobreviver à pena que está sendo obrigado a cumprir sem saber o porquê.

A Criada (2017)

Coreia do Sul, anos 1930. Durante a ocupação japonesa, a jovem Sookee (Kim Tae-ri) é contratada para trabalhar para uma herdeira nipônica, Hideko (Kim Min-Hee), que leva uma vida isolada ao lado do tio autoritário. Só que Sookee guarda um segredo: ela e um vigarista planejam desposar a herdeira, roubar sua fortuna e trancafiá-la em um sanatório. Tudo corre bem com o plano, até que Sookee aos poucos começa a compreender as motivações de Hideko.

Em Chamas (2018)

Durante um dia normal de trabalho como entregador, Jong-soo (Yoo Ah-In) reencontra Hae-mi (Jeon Jong-seo), uma antiga amiga que vivia no mesmo bairro que ele. A jovem está com uma viagem marcada para o exterior e pede para Jong-soo cuidar de seu gato de estimação enquanto está longe. Hae-mi volta para casa na companhia de Ben (Steven Yeun), um jovem misterioso que conheceu na África. No entanto, o forasteiro tem um hobby peculiar, que está prestes a ser revelado aos amigos.

Ligação Explosiva (2021)

Seong-gyoo, o chefe do banco central, levou as crianças para seu carro em seu caminho normal para o trabalho. Ele recebe uma chamada de um número de telefone restrito. Ouve-se uma voz misteriosa ao telefone, informando-o de que há uma bomba no carro. Ele foi avisado de que, se não se levantar, uma bomba explodirá. Seong-gyoo, que declarou o misterioso telefonema como phishing de voz, logo testemunhou o carro de seu colega explodindo da mesma forma na frente de seus olhos e se tornou um suspeito de terrorismo no centro de Busan e foi perseguido pela polícia. No momento de desespero quando a bomba explode se ele cair, a polícia está em uma perseguição, e eles estão em uma situação em que não conseguem nem desligar o telefone com o interlocutor misterioso.

Minari (2021)

Minari se passa nos anos 80. David (Alan S. Kim), um menino coreano-americano de sete anos de idade, que se depara com um novo ambiente e um modo de vida diferente quando seu pai, Jacob (Steven Yeun), muda sua família da costa oeste para a zona rural do Arkansas. Entediado com a nova rotina, David só começa a se adaptar com a chegada de sua vó. Enquanto isso, Jacob, decidido a criar uma fazenda em solo inexplorado, arrisca suas finanças, seu casamento e a estabilidade da família.

Broker (2023)

Broker – Uma Nova Chance é um filme sobre pacotes e caixas. Mas não quaisquer pacotes e caixas. Nessas caixas, pessoas deixam anonimamente seus bebês indesejados. O filme segue dois corretores que vendem os bebês órfãos, contornando a legislação da adoção convencional, para casais ricos que não podem ter filhos. Depois que a mãe biológica de uma criança surpreende a dupla ao retornar para garantir que seu filho encontre um bom lar, os três embarcam em uma jornada para encontrar o casal certo, construindo sua própria família improvável. Prêmio de melhor ator para Song Kang-Ho no Festival de Cannes 2022.

Decisão de Partir (2022)

Em Decisão de Partir, Hae-joon (Park Hae-il) é o mais jovem inspetor do departamento de polícia de Busan. Nos fins de semana, ele vive em uma cidade litorânea enevoada com sua amada esposa, mas durante a semana na cidade ele é tão dedicado ao seu trabalho que faz vigias todas as noites em vez de dormir. Mas, sua vida começa a se complicar quando o corpo de um alpinista é encontrado na base de uma montanha rochosa íngreme. Depois de um episódio maluco em que Hae-joon e seu chefe usam uma polia motorizada para subir a encosta da montanha, eles se perguntam se o morto caiu ou se foi empurrado. O principal suspeito é a viúva do homem, Seo-rae (Tang Wei), uma bela imigrante chinesa que não parece nem um pouco chateada com sua morte. Mas, como poderia Seo-rae, uma cuidadora adorada por seus clientes idosos, ser a principal suspeita do assassinato. Ela não poderia ter cometido assassinato, poderia?

Força Bruta (2022)

A Unidade de Crimes Graves do Departamento de Polícia de Geumcheon tem a tarefa de repatriar um criminoso que fugiu para o Vietnã. Embora não haja acordo de extradição com as autoridades locais, ele se entregou na embaixada sul-coreana. Já a caminho do Vietnã, os policiais experientes, o detetive Seok-DoMa (Dong-Seok Ma) e o capitão Il-Man Jeon (Gwi-Hwa Choi) concordam que há algo errado com a vontade repentina do suspeito de desistir assim que pode. esteja certo. A dupla deve estar certa. Assim que chegam, os oficiais e seus companheiros são atraídos para os crimes de um temível assassino chamado Hae-Sang Kang (Sukku Son). Mesmo que ele não tenha autoridade legal no exterior e nem mesmo tenha permissão para portar uma arma, Ma segue os rastros sangrentos que Kang deixa para trás e imediatamente inicia a investigação - claro, à sua maneira especial. Invasão Zumbi (2016) Em um trem de alta velocidade com destino à cidade de Busan, na Coréia do Sul, um vírus misterioso que transforma as pessoas em zumbis acaba se espalhando de maneira devastadora. A cidade de destino da locomotiva conseguiu com sucesso se defender da epidemia, mas até chegar lá eles deverão lutar pelas suas sobrevivências.

fonte: Arteplural Comunicação

11 visualizações0 comentário

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page